Notícias

Convocatória Assembleia Geral

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto da alínea c) do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convoco em reunião ordinária a Assembleia Geral desta Câmara para o dia 16 de fevereiro de 2018 (sexta-feira), pelas 20h, a funcionar no auditório pequeno da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça,

 

Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Apreciar e votar o Plano de Atividades e Orçamento para 2018;

2. Análise económico-financeira da situação atual da Câmara do Comércio e Indústria da Horta;

3. Outros assuntos de interesse.

 

Não comparecendo à hora marcada a maioria absoluta dos associados, a Assembleia funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes, conforme estabelece o número um do artigo trigésimo quinto dos referidos Estatutos.

 

 

Horta, 08 de fevereiro de 2018

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

 

 

                                 Encontro Empresarial dos Açores

 

 

 

Enquadramento

 

  1. O FÓRUM CCIA 2017 – Encontro Empresarial dos Açores – reuniu em Ponta Delgada, nos dias 24 e 25 de novembro, com cerca de meia centena de empresários representando as três Câmaras de Comércio dos Açores e vários sectores de atividade e fez uma análise ao estado da economia regional, identificando as principais dificuldades e analisando as grandes necessidades e oportunidades de ajustamento estrutural da economia açoriana.

  2. O Fórum adotou como tema central a alavancagem de dinâmicas em sectores estratégicos desenvolvendo o tópico “Turismo, Emprego e Produção Local e Regional”. Concluiu que se colocam vários desafios designadamente: na área da educação e da formação; nos transportes, em especial na componente aérea; na tecnologia, sendo que no turismo tem especial relevância para a descentralização da oferta e o esbatimento da sazonalidade. Foi igualmente realçada a importância da produção local e regional e a sua relação com o setor do turismo como aspeto a incentivar no desenvolvimento da economia regional. Esta discussão contou com a participação de especialistas e de parceiros sociais.

  3. Foi feita uma análise retrospetiva da evolução dos tópicos debatidos na edição de 2016 – operacionalização do PO Açores 2020; realização de investimentos prioritários estratégicos; transporte aéreo de carga; transporte aéreo inter-ilhas; investimentos na área do turismo; formação; fiscalidade - constatando-se que não houve qualquer evolução positiva significativa nas políticas associadas. Na intervenção pública não são identificadas intervenções estruturais significativas.O Fórum considerou que a concertação estratégica nestas matérias tem sido efetivamente nula sem o devido debate e acerto de políticas que têm vindo a ser anunciadas sem adequada discussão pública.

  4. Foi analisada a evolução da conjuntura socioeconómica, constatando-se sinais positivos essencialmente derivados da situação do setor do turismo, que apresenta um crescimento significativo, embora não de forma uniforme em todas as ilhas. Esta evolução positiva, em muito associada à melhoria no modelo de transportes aéreos, beneficia da conjuntura positiva nacional e europeia. Constatou-se também que há uma redução da taxa de desemprego, embora se verifique uma utilização muito significativa de programas ocupacionais que ainda acomodam cerca de 6000 pessoas.

 

O Fórum constatou a importância que a iniciativa privada tem tido na criação de novos postos de trabalho vendo com apreensão as medidas recentemente anunciadas para o mercado de trabalho pela rigidez que vêm introduzir nos sistemas de apoio à contratação.

 

Foi perspetivada uma evolução igualmente positiva para 2018 tendo por base as previsões gerais de crescimento em Portugal e na Europa bem como as novas ligações aéreas anunciadas quer com a Europa quer com os Estados Unidos.

 

Linhas de Orientação Estratégica

 

Reafirmando a defesa do primado da economia privada como estratégia fundamental de integração na economia nacional e europeia, o Fórum CCIA 2017 considerou como fundamental sublinhar as políticas promotoras da competitividade da economia dos Açores, como única via sustentável para o progresso socioeconómico que se pretende. Associou a este desígnio a racionalização da intervenção pública na economia exigindo a prossecução de uma programação evidente de redução do peso do setor público incluindo a reprivatização de atividades.

Nos rumos que se traduzem em linhas orientadoras para a concretização de uma futura política de desenvolvimento regional, sustentada na competitividade, o Fórum considerou como indispensável que as entidades públicas, regionais e locais, atuem, com determinação, em temas essenciais que se enumeram de seguida.

  

 

A. Programa Operacional Açores 2020

O PO Açores 2020 deverá aplicar, conforme previsto, uma média anual de cerca de 220 milhões de euros na economia regional, para a tornar mais competitiva.

Avaliada a situação atual o Fórum identifica as seguintes situações a corrigir:

  1. Harmonização das intensidades de apoios nos sistemas de incentivos para equiparar os apoios do Faial e do Pico, ilhas com maiores dificuldades em acompanhar a progressão económica, aos níveis que se encontram em vigor para as ilhas de coesão;

  2. Revisão e operacionalização da componente privada do programa de Urbanismo Sustentável e Integrado;

  3. Operacionalização dos programas de Eficiência Empresarial;

  4. Afetação adequada de recursos para a formação profissional e requalificação de ativos;

  5. Inclusão nas linhas de apoio ao turismo da requalificação urbana e melhorias de qualidade em investimentos em Alojamento Local, uma medida de particular importância para a recuperação urbana e para o desenvolvimento do turismo em ilhas de menor dimensão onde a hotelaria tradicional encontra menos argumentos de afirmação.

 

O PO Açores 2020 deve ter uma estratégia clara de privilegiar, direta e indiretamente, o investimento privado gerador de empregos sustentáveis, situação que não se tem vindo a verificar.

B. Transportes

I. Transportes Aéreos de Passageiros

O Fórum debruçou-se prolongadamente sobre a problemática dos transportes aéreos identificando as seguintes questões críticas:

  • Revisão do modelo de “gateways” atuais no sentido de eliminar as obrigações de serviço público;

  • Revisão do modelo de transportes aéreos inter-ilhas no sentido de permitir maior oferta e a redução das tarifas, através do alargamento de horários ou revisão de opções de equipamentos;

  • Revisão do modelo de transportes aéreos de ligação com o território nacional no sentido de o tornar mais sustentável;

  • Consolidação da Azores Airlines para que possa cumprir uma função reguladora, de forma comercial e sustentada, considerando-se como muito positiva a abertura para a privatização parcial, devendo ser, neste processo, salvaguardada a dispersão de capital para permitir o envolvimento de interesses locais;

  • A consolidação da SATA Air Açores para que possa dar melhor resposta aos desafios de ligações inter-ilhas mais frequentes e mais competitivas, face ao que acontece com as ligações com o Continente ou com o que acontece no arquipélago vizinho das Canárias. As ligações inter-ilhas foram consideradas como um dos aspetos mais importantes para o alargamento dos benefícios do turismo às ilhas mais pequenas.

II.Transportes Aéreos de Carga

O Fórum sublinhou a necessidade urgente de se finalizar o processo de concessão do transporte de carga aérea uma vez que volvidos mais de dois anos da adoção do novo modelo o processo de concessão continua por concluir com evidentes prejuízos para a economia regional.

III.Transportes Marítimos de Cargas

Reafirma-se que o modelo atual não serve! Não é competitivo, não funciona adequadamente e as rotas e escalas definidas não são cumpridas com pontualidade.

Mais uma vez o Fórum entende que é indispensável a realização de um estudo independente e especializado sobre o que deve ser o modelo de transporte marítimo que fundamente as opções a seguir nesta matéria. Situação idêntica aplica-se relativamente à aquisição anunciada de um navio de passageiros e mercadorias tendo em consideração os montantes envolvidos  na  sua aquisição/construção, bem  como da  sua operação e manutenção. O Fórum não percebe que se dispenda 48 milhões de euros na aquisição de um equipamento sem que antes se tenha revisto o que será o modelo de transportes marítimos para os Açores. Volvidas três décadas, continuamos dependentes de um modelo que remonta ao último quartil do século passado.

É indispensável, ainda, a existência de planos estratégicos para os portos que contemplem requalificação das infraestruturas e modernização dos equipamentos, devendo a gestão ser privatizada. É preocupante que se façam intervenções para durarem os próximos 20 anos, impondo condições de rigidez, como está a ser feito em Ponta Delgada e na Horta.

As soluções neste setor, dado o seu impacto em toda a economia dos Açores, devem ser racionalizantes levando a reduções de custos sem prejuízo de frequências.

IV.Transporte Marítimo de Passageiros

Analisada a situação dos transportes marítimos de passageiros o Fórum constatou a total inoperância do anunciado PIT (Plano Integrado dos Transportes) e apontou:

  1. A necessidade de ser melhorada e racionalizada a programação da operação corrente nas ilhas do grupo central;

  2. A necessidade de se reequacionar a operação sazonal de verão dados os custos que acarreta e o impacto que produz.

 

C. Financiamento, Fiscalidade e Recapitalização das Empresas

 O Fórum reafirmou a importância de aliviar a carga fiscal que impende sobre as famílias e as empresas e defendeu a manutenção das propostas do Pacote Fiscal oportunamente apresentado em parceria com a Federação Agrícola dos Açores e a UGT-A.

 

O Fórum considerou, igualmente fundamental que as empresas dos Açores tenham acesso a todos os instrumentos financeiros disponíveis a nível nacional e europeu.

Identificou em particular:

  1. A necessidade de uma participação efetiva nos mecanismos desenvolvidos no âmbito do IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento, incluindo a tomada de decisão;

  2. A extensão efetiva garantida da atuação do BEI – Banco Europeu de Investimento, adaptada aos Açores, para total aproveitamento do plano europeu de fomento do investimento;

 

O Fórum considerou também importante que sejam revistos os procedimentos de cobrança do IVA em transações entre os Açores e o Continente dado que o diferencial de taxas obriga as empresas regionais a manterem níveis mais elevados de tesouraria quando a taxa aplicada é de 23% sendo que as empresas devem suportar apenas 18%.

A necessidade de se abordar a problemática da recapitalização das empresas foi revisitada não só por via dos créditos fiscais propostos no Pacote Fiscal como também por via da imperiosa ação do IFD e da criação de outros instrumentos que permitam melhorar a solidez financeira das empresas.

 

D. Investimento Público

 

O Fórum reafirmou a necessidade da continuidade de investimentos públicos em infraestruturas, equipamentos portuários, equipamentos turísticos e equipamentos para a formação, associados à dinamização reprodutiva e sustentável da economia dos Açores.

O Fórum reafirmou a urgência e a natureza imperativa do investimento: na estrutura portuária e de graneis de Ponta Delgada; na adaptação do Porto da Praia da Vitória para funções de apoio à navegação e logística internacional; na melhoria da operacionalização/ ampliação do aeroporto da Horta. Lamentou a falta de avanço nestes temas considerados estruturantes e urgentes para a competitividade da economia dos Açores.

Neste capítulo foi considerado não prioritário o investimento na construção de um navio para o transporte inter-ilhas dado o seu avultado valor e reduzido impacto na economia quer na fase de construção – com impacto zero – quer na fase de operação, com exploração negativa.

 

E. Turismo

O turismo continua a revelar-se como o setor chave para a recuperação do emprego e da economia em geral, com muitos efeitos multiplicativos em todos os setores de atividade, evidenciando boas perspetivas globais de crescimento no futuro.

O Fórum reafirma que o crescimento do turismo nos Açores não pode ser considerado um dado adquirido. Traz antes inúmeros novos desafios exigindo uma estratégia proactiva que deve incluir:

  1. Reforço e modernização dos serviços regionais e locais com intervenção nas atividades turísticas por forma a reduzir os entraves ao investimento quer em termos de burocracia quer em termos de prazos;

  2. Priorização do investimento na formação de recursos humanos;

  3. Requalificação de infraestruturas de apoio como miradouros, áreas balneares, trilhos, etc.;

  4. Simplificação e adaptação da legislação aplicável ao setor;

  5. Conclusão da revisão do POTRAA – Plano do Ordenamento Turístico da Região Autónoma dos Açores;

  6. Melhoramento da qualidade e disponibilidade rápida das estatísticas na área do turismo e elaboração anual das contas satélite do turismo;

  7. Tomar medidas tendentes ao esbatimento da sazonalidade, nomeadamente com a programação de ações de promoção/incentivos.

F. Sustentabilidade Ambiental

 

O Fórum manifestou o empenho das empresas na sustentabilidade ambiental, fator crítico para o sucesso continuado do desenvolvimento regional e do setor do turismo.

Sublinhou em particular a preocupação com a gestão das áreas naturais dos Açores, com particular enfase para a pressão que está ser exercida nas lagoas de S. Miguel e a montanha do Pico, entre outras situações similares, assim como para as consequências inaceitáveis que podem resultar da ausência de ação célere na garantia da descontaminação identificada na Terceira.

 

G. Transparências

 

O Fórum analisou a situação da informação prestada relativamente às opções e contas das empresas públicas, quer as do perímetro quer as que estão fora do perímetro orçamental. Considerou incompreensível a falta de informação sobre

 

opções tomadas e o desfasamento na apresentação dos resultados. Considerou que se impõe a divulgação da prestação de contas numa base, no mínimo, trimestral.

 

H. Custos de contexto

 

Os custos de contexto foram analisados tendo sido considerado que se impõe a abordagem de áreas críticas reguladas nos setores da energia e das telecomunicações, para além dos custos inerentes aos transportes.

O Fórum considerou que é imperativo alinhar os custos de energia e de telecomunicações para os preços em vigor em áreas de referência como o continente português, exigindo-se ação do governo e das entidades reguladoras destes setores.

O Fórum considerou, por último, que constitui um custo de contexto significativo a inadequação e falta de modernização de diversos serviços públicos fundamentais para as empresas.

 

Em suma, o Fórum refletiu e reafirmou, na generalidade, sobre o que tem sido a evolução das políticas para a competitividade da economia dos Açores concluindo que têm sido muito ténues e demorados os avanços conseguidos, prejudicando o posicionamento das empresas dos Açores e onerando os custos para as famílias. Os parcos avanços em áreas como os custos de contexto, a adequação e modernização de serviços públicos, o financiamento da economia privada, o investimento público estratégico, as privatizações, a adequação/adaptação legislativa e o emprego são algumas evidências preocupantes, cuja resolução tarda, em prejuízo do bem-estar geral da sociedade açoriana.

 

Em síntese, o Fórum CCIA 2017 – Encontro Empresarial dos Açores abordou a problemática da economia e sociedade açorianas e reafirmou a importância das empresas para a criação de emprego e para a construção da sustentabilidade endógena, pilar indispensável de uma autonomia efetiva, cada vez mais baseada na nossa capacidade própria de gerar riqueza e menos nas fontes de solidariedade externa. Sublinhou ainda a importância de uma estratégia integrada de desenvolvimento que congregue os potenciais individuais em sinergias positivas. Ficou patente o consenso gerado entre todos os empresários e reforçado o desejo de que as sugestões propostas tenham reflexo nas políticas públicas.

O Fórum sublinhou a disponibilidade das associações empresariais para a participação em processos verdadeiros de concertação social, única forma de se gerarem consensos dinâmicos e frutuosos capazes de potenciar um maior e mais sustentável desenvolvimento dos Açores.

 

Ponta Delgada, 24 e 25 de novembro de 2017.

Roadshow de Apresentação das Alterações ao Código dos Contratos Públicos

 

 

O Decreto-Lei n.º 111-B/2017, de 31 de agosto, procedeu a uma profunda alteração do Código dos Contratos Públicos.

Assim, o Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção realiza a 18 de dezembro, pelas 16h, no Auditório do Centro Cultural  e de Congressos de Angra do Heroísmo, uma sessão de apresentação pública das alterações ao Código dos Contratos Públicos.

As inscrições são livres e feitas no portal do IMPIC em http://www.impic.pt/impic/pt-pt/iniciativas-estrategicas/roadshowcpp

 

Horta, 4 de dezembro de 2017

 

Assembleia Geral Eleitoral - ADIAMENTO

 

 

Na sequência da convocatória efetuada nos termos da alínea a) do número um do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, na ausência de apresentação de listas com a antecedência prevista no regulamento eleitoral, adia-se a mesma e convocam-se todos os Associados para a Assembleia-Geral Eleitoral, com vista à eleição de corpos sociais para o triénio 2017/2020, a realizar no dia 18 de outubro de 2017, cuja votação terá o seu início às 16.00 horas e o seu encerramento às 20.00 horas, nos seguintes locais:

-    Sede desta Câmara, sita ao Largo Duque D’Ávila e Bolama, n.º 4 – 2º, na Horta e

-    Núcleo Empresarial das Flores e Corvo, sita à Rua Dr. Armas da Silveira, Santa Cruz das Flores.

A votação poderá ainda ser efetuada por correspondência conforme previsto no regulamento eleitoral.

As listas deverão ser apresentadas na sede da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, ou suas delegações, dirigidas ao presidente da mesa da assembleia geral, até às 17h00 do dia 10 de outubro de 2017.

No caso de empate entre as listas mais votadas, o ato eleitoral repetir-se-á 8 dias depois, apenas com a participação dessas listas, sendo eleita a que obtenha mais votos.

 

Horta, 2 de outubro de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Vitor Soares

Convocatória Assembleia Geral Eleitoral

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto na alínea a) do número um do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convocam-se todos os Associados para a Assembleia-Geral Eleitoral, com vista à eleição de corpos sociais para o triénio 2017/2020, a realizar no dia 6 de outubro de 2017, cuja votação terá o seu início às 16.00 horas e o seu encerramento às 20.00 horas, nos seguintes locais:

-    Sede desta Câmara, sita ao Largo Duque D’Ávila e Bolama, n.º 4 – 2º, na Horta;

-    Núcleo Empresarial das Flores e Corvo, sita à Rua Dr. Armas da Silveira, Santa Cruz das Flores.

A votação poderá ainda ser efectuada por correspondência conforme previsto no regulamento eleitoral.

As listas deverão ser apresentadas na sede da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, ou sua delegação, dirigidas ao presidente da mesa da assembleia geral, até às 17h00 do dia 28 de setembro de 2017.

No caso de empate entre as listas mais votadas, o acto eleitoral repetir-se-á 8 dias depois, apenas com a participação dessas listas, sendo eleita a que obtenha mais votos.

Se até ao dia 28 de setembro, não tiverem sido apresentadas ao presidente da assembleia geral listas de candidaturas, dar-se-á sem efeito a Assembleia Geral eleitoral, sendo marcado novo ato eleitoral nos 30 dias subsequentes.

 

 

Horta, 14 de setembro de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

Convocatória Assembleia Geral Extraordinária

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto no número dois do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convoco em reunião extraordinária a Assembleia Geral desta Câmara para o dia 19 de junho de 2017 (segunda-feira), pelas 20:30h, a funcionar no auditório pequeno da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça,

 

Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Análise da situação atual da Câmara do Comércio e Indústria da Horta;

2. Marcação de eleições.

 

Não comparecendo à hora marcada a maioria absoluta dos associados, a Assembleia funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes, conforme estabelece o número um do artigo trigésimo quinto dos referidos Estatutos.

 

 

Horta, 12 de junho de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

Sessão Informativa IRT

 

Caro Associado/ Empresário

Temos a informar que se vai realizar, no dia 12 de junho, das 14h às 17h, no Hotel Horta, uma Sessão Informativa promovida pela Câmara do Comércio e Indústria da Horta em parceria com a Inspecção Regional do Trabalho.

A Sessão será composta pelas seguintes temas:

 

Tratando-se de uma sessão com temas bastante pertinentes será uma excelente oportunidade para esclarecer toda e qualquer duvida que possa existir na sua empresa, pelo que temos a honra de o convidar a estar presente nesta sessão.
 

Horta, 08 de junho de 2017


A Direção

Convocatória Assembleia Geral

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto da alínea a) do número um do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convoco em reunião ordinária a Assembleia Geral desta Câmara para o dia 26 de abril de 2017 (quarta-feira), pelas 19:30h, a funcionar no Hotel Horta,

 

Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Apreciar e votar o Relatório e Balanço de Contas da Direcção e o Parecer do Conselho Fiscal, referentes ao ano de 2016;

2. Outros assuntos de interesse.

 

Não comparecendo à hora marcada a maioria absoluta dos associados, a Assembleia funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes, conforme estabelece o número um do artigo trigésimo quinto dos referidos Estatutos.

 

 

Horta, 10 de abril de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

Demonstrações Financeiras

Convocatória Assembleia Geral

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto da alínea c) do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convoco em reunião ordinária a Assembleia Geral desta Câmara para o dia 30 de janeiro de 2017 (segunda-feira), pelas 19:30h, a funcionar no auditório pequeno da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça,

 

Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Apreciar e votar o Plano de Atividades e Orçamento para 2017;

2. Análise da situação atual da Câmara do Comércio e Indústria da Horta;

3. Outros assuntos de interesse.

 

Não comparecendo à hora marcada a maioria absoluta dos associados, a Assembleia funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes, conforme estabelece o número um do artigo trigésimo quinto dos referidos Estatutos.

 

 

Horta, 13 de janeiro de 2017

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

Plano de Contas e Orçamento 2017

 

Campanha de Comércio Tradicional "Ofereça Açores" 2016

Tal como já vem sendo habitual, realizou-se de 02 a 30 de dezembro de 2016 a Campanha de Comércio Tradicional "Ofereça Açores" 2016. Com mais de 40 estabelecimentos aderentes, nas ilhas do Faial, Pico e Flores, esta campanha terminou com o sorteio de 80 vales de compras no valor de 25€ cada, prefazendo um total de 2.000,00€ atribuidos.

Listas de premiados:

Faial

Pico

Flores

Horta, 06 de janeiro de 2017

A Direção da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, na sequência do cancelamento do voo da SATA Internacional da manhã do dia de hoje, com a justificação das condições meteorológicas adversas, convocou uma conferência de Imprensa, que teve lugar pelas 10h15m no aeroporto da Horta, com a seguinte nota.

NOTA

Cancelamento do Voo SATA Internacional para a Horta

 

Queremos alertar para o que se está a passar hoje e que já se passou noutras circunstâncias com a operação da SATA Internacional.

 

Hoje, na ilha do Faial, fomos despertados com a notícia que a SATA Internacional tinha cancelado o seu voo para a Horta, alegando condições meteorológicas adversas.

 

Pelas 8 horas da manhã as nuvens estavam entre os 400 a 800m e a visibilidade era de mais de 10km, portanto isto significa que apesar de às 6 horas da manhã, nos açores a visibilidade não ser a melhor para a operação, passado 1h30, já as condições de operacionalidade do aeroporto da Horta estavam em conformidade. Já no dia de ontem tinha sido cancelado o voo da SATA Internacional, com base nas condições metrológicas, aí sim válidas e justificadas.

 

Para uma região que aposta no Turismo, não abona em nada situações destas. Temos informação que os aviões estavam praticamente cheios, com operações de operadores turísticos, essencialmente com estrangeiros, mas também alguns turistas proveniente do mercado nacional e que não levam, com certeza, uma boa impressão dos açores e em especial do triângulo.

 

A Câmara do Comércio quer alertar para que situações destas não se venham a repetir muito mais vezes, relembrando que existe um aeroporto alternante nestas condições, desconhecendo-se no entanto se foi equacionado nessa situação.

 

O que é importante é que não pode haver dois pesos e duas medidas, numa Região composta por 9 ilhas. Queremos estar na linha da frente da ajuda do desenvolvimento económico dos açores, mas não queremos é que nos cortem as pernas.

 

No nosso entender o que houve foi uma má leitura das condições atmosféricas e das previsões das condições atmosféricas do aeroporto a Horta durante o dia de hoje.

 

Temos conhecimento, que os voos tinham uma ocupação superior a 75% e que alguns passageiros já foram reacomodados no voo da tarde, e outros passaram já para o voo direto de amanhã. Atendendo a que o voo direto de amanhã só acontece à tarde, isto significa que os passageiros têm quase menos 48 horas de permanência na ilha do Faial.

 

Quem perde?

Perde e economia do Faial!

Perde o Triângulo!

Perdem os Açores!

 

Não queremos que a segurança seja colocada em causa. Quando são motivos de ordem meteorológica reais, os voos têm de ser cancelados, a segurança está em primeiro lugar. Não é o caso de hoje, e esta situação repete-se várias vezes. São camas que ficam por vender, carros que ficam por alugar, são menos refeições que são servidas, o que prejudica claramente a economia da ilha do Faial.

 

Entendemos ser falta de programação, de empenho, de equipamentos, de tripulações, e é falta de dinheiro. Toda a gente sabe que a SATA está numa situação complicada e que caberá às ilhas do triângulo e outras resolver esse problema. Nós ficamos com a exclusividade, temos o monopólio que ninguém o pediu. A TAP foi empurrada ou não, e estamos nas mãos da SATA para fazer o que pode fazer. Nós não queremos que a SATA faça o que pode fazer, tem que fazer aquilo que tem que fazer e que se propôs fazer, e é isso que ela não tem condições para executar.

 

Temos Julho e Agosto com muitos lugares ainda para vender, e para permanências de 1 semana na ilha do Faial, de julho a setembro são raras as situações em que as passagens estão a 300,00€, estamos quase sempre a falar de passagens acima de 500,00€. Voltamos a reforçar a necessidade de serem repostos os 14 voos na época alta. Em plena Semana do Mar, até ao ano de 2014, tínhamos 20 voos nessa semana, agora temos apenas 12.

Horta, 7 de junho de 2016

Comunicado

Turismo nos Açores

 

No passado dia 16 de Maio foram divulgados os dados do INE sobre o Turismo referentes ao 1º trimestre de 2016, em que se destaca o crescimento de 60% nas Dormidas nos Açores.

Se este valor é real e verdadeiro para a generalidade dos Açores…?

 

A Realidade é que o crescimento se verifica em apenas 4 ilhas:

  • a Ilha de São Miguel a crescer 59,9%

  • a ilha da Terceira a crescer 141,9%, graças a um Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira

  • e as ilha de Santa Maria e Graciosa a crescerem 14,5 e 11,9%, respetivamente, graças a Planos de Emergência que foram criados para colmatar a tendência negativa nestas 2 ilhas…

 

A verdade é bem pior, nas restantes 5 ilhas da Região, que vêm as suas Dormidas com taxas de crescimento negativas, designadamente:

  • As Flores a cair 33, 8%, e em Março a cair de 1093 dormidas para apenas 261;

  • O Corvo a cair 11,4%

  • O Faial a cair 9,4%

  • O Pico cai 8,9%

  • e São Jorge 5,6%

São números muito preocupantes, que a restante Região procura branquear e fazer esquecer face ao Euforismo que alguns vivem…, e que atestam claramente que o novo paradigma da liberalização dos Transportes Aéreos na Região Autónoma dos Açores ainda não chegou a todas as ilhas…

 

Também temos camas, carros e mesas para ocupar, e que continuam à espera de um futuro com melhores dias…

 

Até quando?

 

E não foi por falta de alerta, de avisos, de trabalho de casa e de propostas que esta Câmara do Comércio e Indústria da Horta tenha apresentado, e feito chegar a quem de direito…

Reunimos com o Secretário Regional do Turismo e Transporte

Reunimos individualmente com a SATA por três vezes e uma quarta em parceria com a Câmara Municipal da Horta

Reunimos com a Portugal Tours em Madrid…

Reunimos com Diretor do Aeroporto da Horta

 

A preocupação com a Pista do Aeroporto da Horta também já foi manifestada junto de diversas entidades e por diversas vezes:  Presidente do Governo Regional dos Açores; Secretário Regional do Turismo e Transportes; Vinci; SATA; Diretor do Aeroporto da Horta; e mais recentemente o Sr. Primeiro-Ministro António Costa.

 

PROPUSEMOS:

  • Reposição dos 14 voos na Época alta e o reforço de 3 no inicio e no fim da Semana do Mar;

  • Ligação direta semanal Porto-Horta-Porto, por forma a satisfazer a procura do mercado do Norte, e tínhamos um operador interessado nesta operação;

  • Reforço das Ligações Regionais ao fim de semana;

  • Reforço das Ligações para reencaminhamento às Low-Costs;

  • Reforço da capacidade de carga para exportação de produtos em fresco, a partir das nossas ilhas de abrangência;

  • Por forma a incentivar a visita às demais ilhas dos Açores, prescindir das 24H para reencaminhamento para não residentes, mesmo que tal significasse o pagamento de uma taxa por parte do passageiro turista;

 

NÃO PODEMOS ACEITAR, E NÃO ACEITAMOS ESTA REALIDADE

 

Os empresários destas 5 ilhas, continuam a não fazer parte das prioridades de atuação do Governo Regional, da Secretaria Regional do Turismo e Transportes, e da SATA.

 

Os empresários destas 5 ilhas não podem continuar a gerir a sua atividade sem lucro, já que os dividendos do Verão são para tapar o buraco do Inverno…

 

Os empresários destas 5 ilhas reclamam a mesma atenção que o Governo Regional tem vindo, e bem, a implementar nas outras 4 ilhas da Região mais a Oriente, por forma a crescerem ao mesmo ritmo!

 

As 5 ilhas mais a Ocidente merecem melhores acessibilidades, não só por forma a quebrar o seu maior isolamento, como a beneficiarem também desta nova realidade de Serviço Público, com preços mais baixos, ligações mais frequentes, diversificação de rotas e com taxas de crescimento mais atrativas.

REIVINDICAMOS:

  • Reforço dos voos diretos a Lisboa, das Gate-ways da Horta e Pico;

  • Nova Rota para a Horta, designadamente à cidade do Porto no Verão;

  • Consolidação da operação da TUI para a Ilha do Pico, aproximando-se dos 100% de ocupação

  • Lançamento para o aeroporto da Horta - à semelhança da Gate-Way do Pico - de Operação Charter e   consequente manutenção dessa operação, nos meses de inverno, nos aeroportos do Pico e do Faial, reforçando desta forma o Destino Triângulo;

  • Necessidade da frota A320 da Azores Airlines, se equipar urgentemente para executar procedimentos de aproximação RNP(AR) no âmbito do projeto RISE, como forma de reduzir o número de  cancelamentos devido a condições de visibilidade reduzida e/ou "tetos" baixos,

  • Validação  operacional da ajuda à aproximação ILS, para o aeroporto do  Pico;

  • Mais Ligações regionais para satisfazer os reencaminhamentos por Ponta Delgada e Terceira para estas 5 ilhas e vice-versa;

  • Redução do Tarifário incomportável para quem nos visita (não residentes), que de Lisboa, facilmente atinge os 400 euros, enquanto para Ponta Delgada e Terceira existem alternativas abaixo dos 100 euros;

  • Maior capacidade de carga para exportação de frescos;

  • Majoração das taxas de apoio nos incentivos aos investimentos turísticos nestas 5 ilhas, por forma a equilibrar as taxas de retorno, equivalentes às outras 4 ilhas da Região.

Horta, 23 de maio de 2016

 
Convocatória Assembleia Geral

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto da alínea a) do número um do artigo trigésimo terceiro dos Estatutos, convoco em reunião ordinária a Assembleia Geral desta Câmara para o dia 23 de março de 2016 (quarta-feira), pelas 19:30h, a funcionar no auditório pequeno da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça,

 

Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Apreciar e votar o Relatório e Balanço de Contas da Direcção e o Parecer do Conselho Fiscal, referentes ao ano de 2015;

2. Projeto de Requalificação Urbana da Frente Mar da Cidade da Horta;

3. Outros assuntos de interesse.

 

Mais se informa que os documentos relativos ao ponto 1) da ordem de trabalhos estarão disponiveis neste site a partir do dia 21 do corrente.

 

Não comparecendo à hora marcada a maioria absoluta dos associados, a Assembleia funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes, conforme estabelece o número um do artigo trigésimo dos referidos Estatutos.

 

 

Horta, 14 de março de 2016

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

Vitor Soares

 

 

14/03/2016

 

Documentos:

 

Relatório de Actividades 2015

 

Demonstrações Financeiras 2015

 

21/03/2016

 
Convocatória Eleição do Núcleo Empresarial das Flores

 

CONVOCATÓRIA

 

Em conformidade com o disposto da alínea a) do artigo quinto, do Regulamento dos Núcleos Empresariais, convoco em reunião ordinária a Assembleia Plenária do Núcleo Empresarial das Flores e Corvo, para o dia 18 de janeiro (segunda-feira), pelas 19h30, a ter lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores, Rua Senador André de Freitas, Santa Cruz das Flores, Com a seguinte ordem de trabalhos:

 

1. Eleição dos órgãos diretivos do Núcleo;

2. Outros assuntos de interesse.

 

Não comparecendo à hora marcada metade dos associados, a Assembleia Plenária funcionará trinta minutos mais tarde, qualquer que seja o número de associados presentes ou representados, conforme estabelece a alínea c) do número um do artigo sétimo.

 

De acordo com o número dois do artigo nono do Regulamento, a eleição far-se-á por listas a apresentar até ao início da reunião da Assembleia Plenária Eleitoral.

 

Horta, 11 de janeiro de 2016

 

O Presidente da Câmara do Comércio e Indústria da Horta

 

Carlos Cruz Medeiros Morais

 

 

11/01/2016

Campanha de Comércio Tradicional

 

 

Consulte os premiados no sorteio de 5 de janeiro:

 

Faial

 

Pico

 

Flores e Corvo

08/01/2016

FÓRUM CCIA 2015
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O FÓRUM CCIA 2015 – Economia dos Açores: Situação e perspetivas – reuniu em Angra do Heroísmo, nos dias 18 e 19 de setembro, empresários de vários sectores de atividade e de diversas ilhas e fez uma análise ao estado da economia regional, identificando as principais dificuldades e analisando as grandes necessidades e oportunidades de ajustamento estrutural da economia açoriana.

 

 

A Direção da Câmara do Comércio

 

 

23/09/2015

Análise da Situação Atual do Turismo no Faial e suas Perspetivas Futuras

 

 

Em reunião com os empresários do sector do turismo da ilha do Faial, os empresários fizeram uma análise da situação atual do turismo no Faial e suas perspectivas futuras.

 

Passados que foram 5 meses das novas Obrigações de Serviço Publico para as ilhas da nossa área de abrangência e a liberalização das rotas de Ponta Delgada e Terceira, verificamos com satisfação que os Açores (São Miguel) passaram a ter mais notoriedade como destino turístico.

 

Apesar do mau início da operação da SATA Internacional para o Faial, não podemos deixar de registar que até ao momento têm-se cumprido todos os voos e no horário.

 

Porem quando alertámos, no inicio destas novas OSP, que precisávamos de mais frequências diretas a Lisboa, mais tarde veio-se a confirmar que as nossas preocupações eram fundamentadas. Infelizmente não foram suficientes os voos extraordinários tardiamente lançados, a 11 de julho, para a operação de 22 de julho a 30 de agosto, bem como os últimos dois para final de agosto e 13 de setembro.

 

Verifica-se, segundo os dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores, e aqui por nós constatados que o n.º de dormidas tem tido em período homólogo, Janeiro a julho, um aumento na ordem dos 14%, e de passageiros na ordem do 7,5%.

 

Ao entrar numa nova época baixa/Inverno IATA, de novembro a março, as expectativas dos empresários do Faial, bem como de toda a economia, são altas.

 

Verificamos porem que os horários e equipamentos da SATA Air Açores, disponibilizados nomeadamente ao fim de semana, para as ilhas do Faial e do Pico, não servem as necessidades destas ilhas, estrangulando as acessibilidades com as outras ilhas, as ligações à América do Norte bem como os encaminhamentos. Ainda relativamente aos reencaminhamentos deve ser repensada a obrigatoriedade de ligação em 24 horas no máximo.

 

Um novo produto que se pretende agora relançar é o fim de ano na ilha do Faial/Triângulo, com o tradicional Fogo-de-artifício, com um investimento do Município da Horta. Mas é inadmissível que um turista que queira vir passar o fim de ano ao Faial tenha de pagar 387€ só de passagem, quando a mesma companhia aérea (SATA Internacional) disponibilize lugares a 255€, para outros destinos dos Açores, já para não falar nas Low Cost, que para as mesmas datas apresente tarifas de cerca de 128€.

 

Queremos que neste processo constante de desenvolvimento económico o Grupo SATA seja nosso parceiro na promoção do crescimento transversal de Santa Maria ao Corvo, com ganhos para todos, empresários e Grupo SATA, exigindo que a SATA Internacional, na programação dos seus voos para o próximo verão IATA, preveja mais uma ligação diária à sexta e ao domingo durante o mês de junho, e reponha as 14 ligações semanais nos meses de julho e agosto, como tínhamos anteriormente, nos horários atuais para ligações com a Europa. Não deveremos excluir a TAP como parceiro na promoção do Triângulo.  

 

Outro constrangimento que se verifica actualmente nas ilhas do triangulo prende-se com os horários da Transmaçor, que sofreram alterações no passado dia 31 de agosto, ignorando que o fluxo turístico se mantem para alem daquela data.

 

A Direção da Câmara do Comércio

 

15/09/2015

Les Sables - Horta - les Sables

 

 

Entre os dias 25 e 30 de junho, a Câmara do Comércio e Indústria da Horta através do seu Vice-Presidente Dr. João Paulo Pereira, integrou uma comitiva composta pela Dr.ª Ester Pereira (Vereadora da Câmara Municipal da Horta), pelo Sr. Armando Castro (Diretor da Marina da Horta) e pelo Sr. José Agostinho (Presidente da Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial), que se deslocou a Les Sables D`Olone para representar a cidade da Horta na apresentação e partida da muito conhecida Regata Les Sables – Horta – Les Sables.

 

Para além desta representação protocolar, serviu esta deslocação para promover junto dos habitantes daquela zona, com centenas de milhares de potenciais consumidores, alguns dos produtos regionais açorianos produzidos no triângulo e na nossa área de intervenção, mais concretamente o Vinho do Pico, da Cooperativa Vitivinícola da ilha do Pico, o Queijo e o Mel da Cooperativa Agrícola de Lacticínios do Faial e o Atum da Fábrica de Santa Catarina.

 

Ao mesmo tempo, não deixou esta comitiva de promover, também, o destino “Açores” como destino turístico.

 

A Câmara do Comércio reconhece que a sua participação nestes eventos, náuticos e não só, fora das nossas fronteiras, é uma alavanca para a exportação e para o crescimento das vendas dos nossos produtos regionais, para a promoção dos nossos eventos (Regatas, Trail Run), e para a promoção do destino “Azores”, mais especificamente, do Triângulo, das Flores e do Corvo, a qual pretende, sempre que possível, colocar ao dispor dos seus associados.

 

A Direção da Câmara do Comércio

 

03/07/2015

Processo Eleitoral da Câmara do Comércio e Indústria da Horta
Lista Candidata

 

No âmbito do processo eleitoral para os órgãos sociais 2015-2018, foi entregue nos nossos serviços administrativos, uma única lista, que por cumprir com o estipulado quer nos Estatutos quer no Regulamento Eleitoral, foi aceite pela comissão eleitoral, em reunião do dia 27 de maio.

 

Assim, e em conformidade com o n.º 4 do artigo 11º do regulamento eleitoral, em anexo se publica a lista aceite a eleições no dia 1 de junho de 2015.

 

Lista A

27/05/2015

Processo Eleitoral da Câmara do Comércio e Indústria da Horta

 

De acordo com a convocatória para a Assembleia Geral de 1 de Junho de 2015, As listas deverão ser apresentadas na sede da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, ou suas delegações, dirigidas ao presidente da mesa da assembleia geral, até às 17h00 do dia 25 de maio de 2015.

 

Considerando que no dia 25 de Maio os nossos serviços administrativos encontram-se encerrados, por ser feriado, “Dia da Região Autónoma dos Açores”, serve o presente para informar que o prazo limite para entrega das listas passa as 17h00 do dia 26 de maio de 2015.

22/05/2015

Processo Eleitoral da Câmara do Comércio e Indústria da Horta

 

Em conformidade com o disposto número quatro do artigo sexto do Regulamento Eleitoral, publicado no sítio da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, publica-se o caderno eleitoral definitivo.

 

05/05/2015

Processo Eleitoral da Câmara do Comércio e Indústria da Horta

 

Em conformidade com o disposto número um do artigo sexto do Regulamento Eleitoral, publicado no sítio da Câmara do Comércio e Indústria da Horta, encontra-se aberto o processo eleitoral, estando a decorrer desde o dia 20 de Abril o prazo para apresentação de reclamações relativas aos cadernos eleitorais e que é de 10 dias.

O caderno eleitoral provisório pode ser consultado na sede, nos núcleos e no sítio da Câmara do Comércio e Indústria da Horta.

 

20/04/2015

Empresários insatisfeitos com a SATA

6 de abril, 2015

 

Os empresários da ilha do Faial estão insatisfeitos com a qualidade do serviço prestado pela transportadora aérea regional, no âmbito das novas obrigações de serviço público.

No final da tarde desta segunda-feira, duas dezenas de operadores turísticos reuniram com a Câmara do Comércio e Indústria da Horta e com a Câmara Municipal, nos Paços do Concelho, e mostraram a sua insatisfação depois de uma semana de exploração da rota Lisboa/ Horta, em exclusivo, pela SATA.

Sessão de apresentação da Marca Açores – Pico e Faial

 

O Governo Regional, através da Sociedade Para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores – SDEA, está a promover uma série de sessões de divulgação da Marca Açores. 

  • Faial - Dia 14 de Abril pelas 17h30 – Fayal Resort Hotel

  • Pico – Dia 15 de Abril pelas 17h30 – Hotel Caravelas

  • Flores – será divulgado brevemente

Encontro do Mundo Rural 2015

 

Realiza-se de 7 a 9 de Maio, no Parque de Exposições da Quinta de São Lourenço, o Encontro do Mundo Rural 2015.
Trata-se de um evento que conta com larga participação de visitantes, pelo que será uma excelente oportunidade para a exposição, demonstração e comercialização de produtos e serviços de empresas locais e regionais.
Estão abertas as inscrições para os espaços comerciais, que decorrerão do dia 30 de Março (segunda-feira) até dia 30 de Abril (quinta-feira).

Ciclo de Conferências "Pensar nos Açores"

 

PROGRAMA REVITALIZAR
"Desafios e Oportunidades para as Empresas Açorianas"

  • Faial - Dia 21 de Abril pelas 17h30 – Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça.

IV Fórum Açoriano Franklin D. Roosevelt "Açores e EUA: Estratégias de Desenvolvimento Sustentável"

 

Dia 9 e 10 de Abril no Museu dos Baleeiros-Lajes do Pico